Secretaria de saúde do TO alega que fornecedores deixaram de entregar medicamentos no HGP

Afonso Piva, secretário de saúde, diz que responsáveis não apresentaram justificativas para o não fornecimento e cita possível punição.

Cerca de 20 medicamentos imprescindíveis para tratamento de pacientes, estão em falta no Hospital Geral de Palmas (HGP). O secretário estadual de saúde, Afonso Paiva, informou que os fornecedores das medicações deixam de entregar sem justifica alguma. Alguns dos remédios são utilizados até mesmo para tratamento de pessoas com câncer.

Apesar do problema, Afonso alega que a falta não significa interrupção dos tratamentos na unidade. “A gente tem medicamentos para substituições ou até o mesmo medicamento, mas com dosagem diferente. Nenhum paciente está sendo desassistido e essa gestão inclusive está aumentando o percentual de quando nós assumimos. Nós assumimos o percentual com 58 ou 60% e estamos chegando no abastecimento de quase 72%. A meta é chegar a 90%”, disse.

Além disso, os fornecedores podem sofrer uma punição. “São fornecedores irresponsáveis, que entram na licitação para fazer leilão. A verdade é essa. Nós mandamos para a corregedoria para fazer a punição desses fornecedores principalmente para não conseguir vender mais em nenhum lugar do Brasil, não só no Tocantins. Pedimos urgência na situação”, afirmou o secretário.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp