Robinho é condenado a nove anos de prisão por estupro

Jogador foi condenado em última instância pela Justiça Italiana e não pode ser extraditado.

O jogador Robinho e o amigo Ricardo Falco foram condenados por violência sexual em última instância da Justiça Italiana, nesta quarta-feira (19). O crime aconteceu na Sio Café, uma conhecida boate de Milão, dia 22 de janeiro de 2013, na época o jogador era um dos principais do time Milan. A procuradoria da cidade alegou que, além de Robinho e Falco, outros quatro brasileiros participaram da violência sexual contra uma mulher de origem albanesa.

O advogado Fabrício Posocco explicou que o artigo 5º inciso 51 da Constituição Federal de 1988 veda totalmente a extradição do jogador. “O artigo diz que o brasileiro nato não pode ser extraditado salvo se for para cumprimento de pena relacionada ao crime de tráfico de entorpecentes, que não é o caso do Robinho”, explicou ele. O artigo 100 traz a possibilidade de transferência de pena para que seja cumprida aqui no Brasil, mas o advogado explica que tal pedido deve ser feito pela Justiça Italiana.

O julgamento ocorreu na Corte de Cassação de Roma, que é equivalente ao Supremo Tribunal Federal no Brasil, os advogados de defesa do jogador apresentaram nesta manhã o último recurso, que foi negado pela corte italiana. A sentença sairá em 30 dias.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp