PrevIncêndio participa de combate a queimadas e alerta comunidade sobre prejuízos econômicos, ambientais e riscos à saúde

Clima quente e seco, umidade do ar entre 12 e 35%, elementos combustíveis naturais ou provocados pelo homem, como descargas elétricas de relâmpagos ou um cigarro aceso jogado na beira do caminho. Esses são alguns exemplos de cenários perfeitos para a ocorrência de queimada, que, descontroladas podem tomar proporções de incêndio em minutos e causar prejuízos ambientais, econômicos e de saúde pública. E é neste cenário que as entidades de prevenção, controle e combate a incêndio em Palmas estão trabalhando desde o final de semana, quando diversos focos de queimadas foram identificados no município de Palmas.

Ao poder público cabe manter as brigadas de incêndios, corpo de bombeiros e demais forças em prontidão, devidamente capacitadas e em condições para necessidades. Porém, contar com a parceria da população é fundamental, principalmente nesse período em que as temperaturas giram entre 35 e 40 graus centigrados (ºC), nas horas mais quentes do dia e a probabilidade de registro de focos de calor, incêndios ou fogo descontrolado aumentam em relação aos demais meses do ano.

Com o objetivo de promover a conscientização sobre a questão, o Comitê Municipal de Prevenção, Controle e Combate aos Incêndios Florestais e Urbano de Palmas (PrevIncêndio) tem realizado rotineiramente trabalhos de sensibilização da comunidade sobre práticas adequadas. Trabalho que foi reforçado nos dois últimos sábados, dias 21 e 28 de agosto respectivamente, quando membros do Comitê fizeram ações junto às comunidades da região de Taquaruçu Grande e do Distrito de Taquaruçu, alertando sobre os riscos de incêndios florestais e urbanos.

As atividades do PrevIncêndio, denominadas Dia ‘D’ de Sensibilização e Prevenção às Queimadas, foram coordenadas pela Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) e contaram com as parcerias das Secretarias Municipais de Saúde (Sesau), de Educação (Semed), Infraestrutura e Serviços Públicos (Seisp), Desenvolvimento Rural (Seder), Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu), por meio da Defesa Civil e Guarda Ambiental, da Agência Municipal de Turismo (Agtur), além da Organização Não Governamental (ONG) Água Doce, e das empresas Energisa e BRK Ambiental, representando a iniciativa privada e sociedade civil.

As ações percorreram as propriedades localizadas nas duas regiões e nas abordagens, a população foi alertada sobre as implicações legais decorrentes do uso do fogo no período de estiagem, que pode configurar crime ambiental. Também houve conscientização sobre os riscos à saúde, uma vez que a fumaça pode agravar problemas respiratórios, especialmente em crianças, idosos e pessoas com doenças respiratórias pré-existentes; e ainda sobre os riscos de prejuízos ao patrimônio e ao meio ambiente.

Na zona urbana, as queimadas podem ter como consequência às interrupções no fornecimento de energia elétrica, quando há dano na rede de distribuição, ou há risco de que esta rede seja atingida pelo fogo; problemas no abastecimento de água; comprometimento da segurança e funcionamento do transporte aéreo e rodoviário, pela redução da visibilidade causada pela fumaça, dentre outras.

Apesar do Dia ‘D’ ter sido concluído no sábado, as equipes do PrevIncêndio continuam os trabalhos, auxiliando o corpo de bombeiros no combate aos focos de incêndios e queimadas identificados durante o final de semana, na Serra do Lajeado, nas regiões de Taquaruçu Grande e no Morro da Tartaruga.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp