Polícia descarta motivação política em morte de tesoureiro do PT

Crime aconteceu no sábado (9), suspeito foi indiciado por homicídio qualificado por motivo torpe.

A Polícia Civil do Paraná concluiu que não houve motivação política no assassinato de Marcelo Arruda, de 50 anos, no último sábado, 9, em Foz do Iguaçu. Jorge Guaranho, autor do crime, foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e causar perigo comum. Marcelo foi morto a tiros pelo bolsonarista durante sua própria festa de aniversário, que tinha como tema o Partido dos Trabalhadores (PT) e o ex-presidente Lula.

A delegada Camila Cecconello defendeu que Guaranho tenha atirado contra Marcelo por ter se sentido ofendido, mas descarta motivo político, alegando ainda que os disparos tenham sido feitos após uma escalada na discussão. “É difícil nós falarmos que é um crime de ódio, que ele matou pelo fato de a vítima ser petista”, afirmou.

A Polícia Civil também abriu um inquérito para apurar as agressões sofridas por Jorge Guaranho após o crime. Três pessoas são investigadas pelo caso.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp