PF investiga grupo suspeito de falsificar diplomas de medicina no Tocantins

A Polícia Federal deflagra nesta quarta-feira (23) a operação ‘Diploma do Crime’ que desarticula um esquema criminoso de falsificação de diplomas, assinaturas e carimbos de uma universidade federal. Um mandado de busca e apreensão foi cumprido em Porto Nacional contra o principal suspeito de liderar o esquema de falsificação.

As investigações iniciaram após um indivíduo tentar revalidar seu diploma perante o Conselho Regional de Medicina do Tocantins (CRM), alegando que teria cursado medicina em Cochabamba, na Bolívia. Com a ajuda de terceiros, tentou burlar o processo apresentando um documento de revalidação que teria sido emitido pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mas o suspeito nunca teria comparecido à referida instituição.

Segundo a PF, o golpista falsificou carimbos e assinaturas do Reitor e do Diretor da UFPE que não foram reconhecidos pela instituição. A investigação busca o envolvimento de outros fraudadores e outras possíveis fraudes realizadas por eles. Se condenados, os envolvidos podem responder por falsificação de documento público, uso de documento falso e estelionato, cumprindo penas que podem chegar a 15 anos.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp