Novo governador do Tocantins ocupou um cargo público pela primeira vez em 1989. Filho e irmão de Wanderlei também exercem mandatos eletivos

A renúncia de Mauro Carlesse (PSL) ao governo do Tocantins coloca de vez Wanderlei Barbosa, o novo governador, no centro das atenções. O agora titular do Palácio Araguaia é candidato assumido à reeleição e um dos primeiros atos dele na posse dele foi anunciar filiação ao partido Republicanos para se viabilizar para a corrida eleitoral.

No primeiro dia como governador efetivo, Wanderlei viajou ao interior do estado e visitou cidades na região sudeste. A ação repete um comportamento que ele já adotava como vice-governador e que repetiu enquanto comandou o estado de forma interina de visitar constantemente bases eleitorais. O histórico político de Wanderlei Barbosa é marcado por passagens em cargos do Poder Legislativo.

Trajetória no Legislativo

O governador está completando 58 anos neste sábado (12). Ele é natural de Porto Nacional, na região central do estado e começou a carreira política em 1989, quando se elegeu vereador pelo município. Em 1996 migrou para a capital e se elegeu vereador por Palmas, cargo que ocupou por vários mandatos sucessivos até 2010, chegando a presidir a câmara municipal ao longo de quatro anos.

Em 2010 se elegeu para o primeiro de dois mandatos como deputado estadual. Ele permaneceu nesta função até 2018, quando se afastou para disputar a eleição suplementar ao lado de Carlesse como vice-governador na chapa que acabou vencedora. A disputa foi convocada por causa da cassação de Marcelo Miranda e Claudia Lelis dos cargos de governador e vice.

Como foi o governo dele até aqui?

Enquanto foi vice-governador, Wanderlei Barbosa trabalhou em sintonia com o governador Mauro Carlesse e evitou se envolver em polêmicas. Ele foi escolhido para encabeçar ações como o combate à queimadas, representou o governo em entregas de obras e também em reuniões a que o governador não pode comparecer.

A relação entre os dois já estava desgastada antes mesmo do afastamento. Carlesse não poderia disputar a reeleição e Wanderlei queria se viabilizar como pré-candidato à sucessão dele, mas não encontrou muito apoio por parte do governador. Logo que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou o afastamento, tratou de romper a relação.

Desde que assumiu o governo interinamente, Wanderlei Barbosa realizou uma ampla reforma administrativa e trocou quase toda a equipe do primeiro escalão. Também precisou administrar algumas crises, como o afastamento em massa do comando da Secretaria de Segurança Pública, a nova onda da Covid-19, além das piores enchentes dos últimos 20 anos e o fechamento dos portões no maior hospital público do Tocantins.

Em alguns projetos, fez mudanças de rumos radicais. A concessão do Jalapão, por exemplo, foi cancelada por ele logo na primeira audiência pública. Agora, como titular do cargo, uma das promessas foi justamente não retomar este projeto ou outros que causem qualquer prejuízo para a população.

Família conhecida

Wanderlei é de uma família de políticos. O pai dele, Fenelon Barbosa, foi o primeiro prefeito de Palmas, quando a cidade foi fundada em 1989. Um dos filhos, Leo Barbosa, é deputado estadual atualmente e o irmão, Marilon, é vereador pela capital.

No aspecto pessoal, o novo governado é casado com Blandina Vieira Leite Castro e pai de Ygor Leonardo Castro Leite (O deputado Leo Barbosa), Rérison Antonio Castro Leite e Rosa Maria Castro Leite.

Além de Leo, outro filho dele também é conhecido pela participação na administração pública. Rérison Antonio foi nomeado presidente da Agência de Metrologia do Tocantins em 2019 e segue ocupando o cargo.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp