Moradores do Rio de Janeiro acusam PM de chacina após confronto deixar oito mortos; corpos foram retirados pelos próprios moradores

Policiais e traficantes estavam em confronto desde sexta-feira, 19, em São Gonçalo. Militares ocuparam o Complexo do Salgueiro após a morte do sargento Leandro da Silva, em uma das ações do Bope. Entre a madrugada e manhã desta segunda-feira (22) os moradores retiraram, manualmente, oito corpos do manguezal do complexo.

O tenente-coronel Ivan Blaz, porta-voz da Polícia Militar, criticou a remoção manual dos corpos pois modificando as cenas, as provas seriam prejudicadas. Ele acredita que os criminosos tenham ficado feridos e fugido pelas rotas conhecidas do terreno, morrendo no local.

A Defensoria Pública do Rio de Janeiro alegou ter recebido relatos de ações violentas no Complexo do Salgueiro, as denúncias foram encaminhadas ao Ministério Público (MP-RJ), para que tome as medidas cabíveis. Além dos criminosos, uma idosa de 71 anos também foi baleada no braço esquerdo.

O estado do Rio de Janeiro fica agora sob efeitos da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) pelo descumprimento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 635, que restringe a realização de operações policiais em favelas a situações excepcionais, previamente justificadas ao órgão.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp