Milho: veja o que pode mexer com os preços na semana

Clima nos EUA segue preponderante para mercado no curto prazo, de acordo com análise da consultoria Safras & Mercado.

Acompanhe abaixo os fatos que deverão merecer a atenção do mercado de milho na próxima semana. As dicas são do analista da consultoria Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias.

– A aparente liberação do embarque de grãos no porto de Odessa, na Ucrânia, atuou como um fator baixista para o mercado de milho no transcorrer da sexta-feira (29). O vice-chefe do gabinete do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky disse que 16 dos 17 navios ancorados nos portos de Odessa estavam carregados com grãos e prontos para zarpar em breve;

– O clima permanece como um fator preponderante para o mercado no curto prazo, até a última atualização os modelos da agência norte-americana NOAA ainda apontavam para temperaturas acentuadas e chuvas abaixo da normalidade;

– Nesse sentido, acompanhar os relatórios semanais de condição das lavouras de milho é fator preponderante no curto prazo;

– O relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) que será divulgado no próximo dia 12, também é relevante, oferecendo as primeiras perspectivas em relação à produtividade média de áreas de milho no Meio-Oeste norte-americano;

– No Brasil, o cenário mudou de acordo com a evolução climática nos EUA;

– Os armazéns estão lotados e haverá necessidade de liberação de espaço no curto prazo;

– A logística também é complicada neste momento, com o custo de frete impactando nos preços CIF. É o que tem acontecido no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina;

– A paridade de exportação segue como grande norte para o mercado no curto prazo, portanto acompanhar a movimentação da Bolsa de Chicago (CBOT) e as flutuações cambiais são fatores-chave.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp