Michelle Bolsonaro toma vacina contra Covid-29 nos EUA e políticos criticam por “desprezo” ao SUS

O presidente afirmou que Michelle tomou o imunizante durante viagem a Assembleia-Geral da ONU

A primeira-dama alegou que foi um convite de um médico e como já queria receber o imunizante, aceitou. De acordo com o calendário de vacinação de Brasília, cidade onde Michelle mora, a vacina já estava disponível para sua faixa etária desde o dia 23 de julho.
Randolfe Rodrigues, vice presidente da CPI, diz que atitude de Michelle foi lamentável pois desvaloriza o trabalho da Anvisa, do Programa Nacional de Imunizações (PNI) e dos infectologistas do país.

“Essa cena da primeira-dama se vacinando nos Estados Unidos é lamentável. O Brasil não merece isso. Desvaloriza a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, desvaloriza uma conquista do país nos últimos 30 anos, que é o Programa Nacional de Imunizações, desvaloriza o esforço de milhares de cientistas, de milhares de profissionais de saúde por todo país. Lamentável e triste. Mais uma página triste da história nacional”, declarou.

Após questionamentos, a assessoria de Michelle se pronunciou afirmando que primeira-dama “reitera a admiração e o respeito pelo SUS e, em especial, pelos profissionais da área, que se dedicam incansavelmente ao cuidado da saúde do povo”.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp