Louis Vuitton e Chanel solicitam acesso ao processo de afastamento de Carlesse; PF encontrou bolsas falsas durante busca

As marcas de luxo Louis Vuitton e Chanel querem ser habilitadas nos autos do processo de afastamento do governador Mauro Carlesse (PSL). As empresas descobriram que bolsas com suas marcas registradas, foram apreendidas durante as buscas da Polícia Federal, e querem comprovar se são exemplares falsificados.

As bolsas foram encontradas na casa de um dos 50 alvos do MPF, além delas, bolsas de outras marcas também foram apreendidas. Estima-se que os produtos custam de R$ 15 mil a R$ 20 mil.

Procuradoria-Geral da República se manisfestou contra os pedidos de Louis Vuitton e Chanel e sugeriu que seja extraídas cópias de trechos específicos sobre as apreensões das bolsas. Pedidos de ressarcimento e qualquer outra medida a ser tomada pelas solicitantes, devem ser realizadas em processos separados.

Mauro Campbell, ministro que iniciou o processo de afastamento, deve avaliar o pedido. Não há prazo estabelecido para tomar a decisão.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp