Iolanda Fregonesi é condenada a 7 anos e 11 meses pela morte do médico Pedro Caldas

Iolanda nunca teria tirado carteira de habilitação e estava embriagada no momento que atropelou Pedro Caldas e seu colega, Moacir Naoyuk Ito.

O júri realizado no Fórum de Palmas nesta segunda-feira (14) determinou a pena de 7 anos e 11 meses de prisão para Iolanda Costa Fregonesi, pelo homicídio doloso do médico Pedro Caldas, atropelado enquanto pedalava por uma marginal, ainda em 2017.

“Tivemos o resultado pelo qual lutamos profundamente. Nós, empunhando esse marco civilizatório Pedro Caldas, conseguimos hoje que a ré fosse condenada por homicídio doloso. Esse era o nosso principal objetivo. Agora, com calma, a equipe de promotores e advogados auxiliares vão poder avaliar se é possível questionar a pena imposta a ré, mas esse é o segundo passo, de menor importância, porque o mais importante é termos conseguido que a dona Iolanda fosse condenada”, comentou o pai da vítima, Luciano Caldas.

Iolanda também foi condenada a mais seis meses por dirigir embriagada e sem habilitação, devendo cumprir essa pena em regime aberto. Quanto à pena por homicídio doloso, Iolanda cumprirá em regime semiaberto e o Ministério Público informou que vai recorrer da decisão.

O caso
Pedro Caldas e o colega Moacir Naoyuk Ito foram atropelados em novembro de 2017, enquanto pedalavam por uma marginal. Moacir sobreviveu mas Caldas acabou morrendo no hospital após quase um mês em coma. Iolanda disse à Justiça que atropelou as vítimas após se distrair com dois animais brigando no banco de trás do carro que dirigia.

Segundo a Polícia Civil, não é a primeira vez que a réu atropela alguém, em 2016 a jovem já havia atropelado um casal na Avenida Tocantins, também em Palmas. De acordo com a investigação, Iolanda nunca teria tirado carteira de habilitação e, na época do acidente, ela teria se recusado a realizar o teste do bafômetro e foi encaminhada à Central de Flagrantes da Polícia Civil, onde pagou apenas R$ 3 mil de fiança e foi liberada para responder em liberdade.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp