Inflação no Brasil deve encerrar o ano maior que a de 83% dos países

A disparada nos preços no país, foi maior que no restante do mundo, aponta o Ibre/FGV

Segundo uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), a economia brasileira deve encerrar o ano de 2021 com uma inflação maior do que a de 83% dos países do mundo. O Fundo Monetário Internacional estima que a inflação brasileira encerre o ano em 7,9%.

Em um acumulado de 12 meses até o mês de setembro, o IPCA chegou a 10,25%, se tal projeção se confirmar, o Brasil pode registrar uma inflação bem acima da apurada entre os países emergentes (5,8%) e também da média mundial (4,8%). No relatório realizado em outubro do ano passado, a previsão era que a nossa economia teria uma inflação maior que a de 57% dos países. No relatório de abril feito anualmente, esse patamar subiu para 70%. E agora está em 83%.

O pesquisador do Ibre, André Braz, afirma que a desvalorização do real é o que agrava a situação do Brasil, desde 2020 a inflação brasileira passou a ser pressionada pela alta dos preços dos alimentos, resultado da valorização das commodities, em tese essa alta deveria fazer com que o real se valorizasse em relação ao dólar, mas esse cenário não tem se confirmado: o real segue desvalorizado diante das incertezas nas áreas fiscal e política.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp