Estado pagará indenização a filhos após restos mortais da mãe desaparecerem no IML de Araguaína

Sentenciado pela Justiça, o Governo do Tocantins precisará pagar aos três filhos de Mariene Duque da Silva, morta em janeiro de 2017, uma indenização de R$60 mil. Os restos mortais de Mariene desapareceram no Instituo Médico Legal de Araguaína e até hoje a família não recebeu informações.

Mariene foi morta por traumatismo craniano após agressão de seu companheiro, José Carlos Barros dos Santos, e ficou desaparecida por quase dois anos. Os ossos da vítima só foram encontrados em novembro de 2018 em uma estrada vicinal.

Assim que a ossada foi localizada foi preciso fazer exames específicos então foi levada até Palmas e retornou à Araguaína em junho de 2019. Até o fim desse ano, a ossada ainda estava no local e a família aguardava liberação judicial para realizar o enterro, mas em fevereiro de 2020, os familiares foram resgatar os ossos e já não os encontram.

O juiz Edimar de Paula, do Tribunal de Justiça do Tocantins, foi quem aplicou a multa e manifestou críticas a respeito da negligência do Estado. Ficou acordado que cada filho receberá R$ 20 mil.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp