Edgar Tolini, ex-secretário de saúde, é suspeito de usar aviões do governo para viagens particulares com a esposa

Investigação faz parte de operação que apura prejuízo de R$ 13,7 milhões aos cofres públicos.

A Polícia Federal investiga nesta terça-feira (19) a suposta utilização de aviões contratados pelo governo estadual para viagens particulares do ex-secretário de saúde do Tocantins, Edgar Tolini, junto a esposa, Thaís de Carvalho. A operação investiga um prejuízo de R$ 13,7 milhões aos cofres públicos com o aluguel da unidade do hospital de Covid-19.

Edgar Tolini era o responsável pela saúde do Tocantins durante a gestão de Mauro Carlesse, que renunciou ao cargo durante um boato de corrupção. Tolini foi afastado do cargo pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) após indícios de corrupção também.

Segundo a Polícia, a investigação teve início após um servidor público ir até à delegacia da PF denunciar que aeronaves contratadas pelo governo, inclusive UTIs aéreas, estavam sendo utilizadas por Edgar Tolini para viagens entre Palmas e Goiânia (GO) durante os fins de semana. O denunciante ainda relatou que o dinheiro pago pelo estado pelo aluguel do Hospital de Campanha da Covid-19 era dado aos gestores estaduais como propina.

O ex-secretário também é investigado em um suposto esquema de superfaturamento na compra de leitos hospitalares. O dinheiro era convertido em imóveis, carros de luxo além de enviados por depósitos em uma conta no exterior.

O juiz federal João Paulo Abe, da 4ª Vara Federal Criminal, expediu os mandados de busca e determinou a quebra do sigilo bancário, além de sequestro de bens móveis e imóveis de três investigados. O Governo do Tocantins ainda não se manifestou sobre o assunto.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp