Delegada diz que perícia no celular de bolsonarista “pode trazer algum elemento novo na investigação”

As investigações sobre a morte do tesoureiro do PT  Marcelo Arruda, no último domingo (10), pode ganhar novos desfechos, segundo a delegada do caso, Camila Cecconello. Novos elementos podem surgir com a perícia no celular do autor do crime em Foz do Iguaçu (PR), o bolsonarista Jorge Guaranho.

a delegada comentou que a primeira providência tomada foi solicitar e tentar descobrir quem estava na posse do celular de Jorge. “E imediatamente representamos pela apreensão do celular e pela autorização para acesso. A extração dos conteúdos desse celular é importante sim, porque no celular muitas vezes o autor pode ter comentado que ia fazer, pode ter dado alguma opinião”, informou.

Para complementar, Camila destacou: “A análise do celular é muito importante sim e pode trazer algum elemento novo na investigação”.

Contudo, ela ressaltou que há prazo a cumprir, “sob pena de que o não cumprimento do prazo pode acarretar a soltura desse suspeito, do réu, nós temos que relatar o inquérito com os elementos que nós temos e claro aguardar”, explicou.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp