Crianças brancas são pintadas de preto em evento de escola no TO; prática racista conhecida como blackface

O Colégio Adventista de Gurupi publicou em suas redes sociais nesta sexta-feira (19), fotos afirmando que os alunos teriam sido “caracterizados” para comemorações do Dia da Consciência Negra. Em uma das fotos, é mostrado uma criança branca pintada com tinta preta e usando uma peruca simulando o cabelo black power.

A prática conhecida como ‘blackface’ é racista e consiste em se “fantasiar” de forma caricata de uma pessoa negra, esteriótipos negativos são atribuídos nessa caracterização. Movimentos negros publicaram notas de repúdio à escola, que pediu desculpas e apagou a postagem. Em nota, a direção do Colégio Adventista de Gurupi diz que é contrária a todo e qualquer ato de discriminação racial e que o projeto teve como objetivo, valorizar a cultura negra e afrodescendente na escola e fora dela.

O Coletivo Negro de Gurupi disse que a estratégia da escola foi inadequada e a população negra não quer ser ridicularizada pelo tom de pele, cabelo ou traços. “Não vamos aceitar atitudes que há muito tempo provocam ridicularização e rebaixamento”, publicou em uma rede social.

O “blackface” existe há pelo menos 200 anos e sempre foi utilizada para ridicularização das pessoas negras, para o entretenimento de brancos. Atores brancos no século 19, usavam a tinta para pintar os rostos de preto e encenarem em espetáculos humorísticos, em uma época que os negros sequer eram autorizados a subir nos palcos, por causa da cor da pele.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp