Coach promove trilha no Pico dos Marins e põe 32 pessoas em risco

O Pico dos Marins é um dos mais altos do estado de São Paulo e possui histórico de mortes.

O coach Pablo Marçal promoveu uma “expedição” em um dos picos mais altos de São Paulo e colocou 32 pessoas em risco de morte após grupo ter barracas rasgadas pela ventania. A subida foi feita apesar da chuva forte e dos ventos, fora da época recomendada e sem equipamentos necessários.

O Corpo de Bombeiros criticou a atitude de Pablo após ficarem nove horas no resgate do grupo. “Ele foi totalmente irresponsável. Subir com um grupo de pessoas despreparadas e sem equipamento é colocá-las sob risco de morte. Essa foi a pior ação que a gente viu no Pico dos Marins”, falou Paulo Roberto Reis, capitão dos bombeiros e chefe da operação de resgate. Marçal se defendeu alegando não ter mandado ninguém subir e ainda ironizou quem classificou a subida como irresponsável.

Marçal tem 2 milhões de seguidores no Instagram, na última quarta-feira (5) promoveu a subida prometendo “códigos que destravassem a mente”. No seu perfil, compartilhou vídeos de integrantes relatando cansaço, frio e vontade de desistir da tal “expedição” e, em todas as ocasiões, Marçal as convencia que a circustância “era uma chance de crescimento” e que era preciso “vencer os medos”.

Após o resgate, o coach ainda chegou a falar que a intervenção da equipe dos Bombeiros foi uma precaução, mas a corporação contestou. “O Corpo de Bombeiros não faz trabalho de precaução, somos um órgão público que atende emergência. Recebemos um chamado para mais de 30 pessoas perdidas, sem equipamentos, debaixo de chuva e pedindo apoio de resgate no Pico dos Marins. Foi isso foi o que o Bombeiro foi atender. E evitamos uma tragédia”, contou Reis.

Pablo Marçal não deu entrevistas sobre o ocorrido e em uma live, minimizou o episódio. “Algumas pessoas não suportam quem corre risco. Se você não corre risco, dificilmente você vai chegar no topo. Nossa subida na montanha, a gente correu muito risco. E aí alguém fala: ‘mas para que correr risco?’. Você que não quer correr risco, fica na sua casa assistindo os stories. Eu não mandei ninguém subir, eu fui na frente. Fui lá, subi e resolvi. Cada um subiu na sua responsabilidade”, disse.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp