Chance de escassez de fertilizantes é cada vez menor, diz Rabobank

De janeiro a maio de 2022, o Brasil já importou 15,1 milhões de toneladas de fertilizantes, contra 12,9 mi de t no mesmo período do ano passado.

risco de escassez de fertilizantes no Brasil é cada vez menor, segundo o banco de investimentos holandês Rabobank.

De acordo com um relatório da instituição financeira, no início do ano, muitas incertezas e preocupações tomaram conta do planejamento para a próxima safra de grãos, especialmente em relação a disponibilidade e o custo de adubos e defensivos.

No caso dos fertilizantes, a maior preocupação do mercado era com relação à disponibilidade dos produtos dada a importância da Rússia no mercado mundial. O Brasil importa 85% dos fertilizantes que utiliza, e a Rússia responde por 23% dessas importações.

Importações de fertilizantes

No entanto, com o passar dos meses, os números de importação divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) aumentaram a confiança de que a chance de escassez de fertilizantes no Brasil é cada vez menor.

De janeiro a maio de 2022, o Brasil já importou cerca de 15,1 milhões de toneladas de fertilizantes, contra 12,9 milhões de toneladas no mesmo período do ano passado. Um aumento de 17%.

Segundo o Rabobank, é importante ressaltar que a importação foi feita a um preço bastante elevado, pois o mercado estava sob a influência dos conflitos do Leste Europeu nos preços dos adubos, algo que deve diminuir daqui para a frente.

Com isso em mente, a análise do Rabobank indica que para a parcela dos fertilizantes compradas durante este primeiro semestre do ano, o produtor deve ter um aumento nos custos com fertilizantes para a safra de soja de 50 a 75% com relação aos custos da safra anterior.

Para os defensivos, a projeção indica uma elevação de cerca de 25% em relação aos custos da safra 2021/22, puxados principalmente pela alta nos custos dos herbicidas, que até o momento apresentam um aumento de mais de 40% em comparação a safra anterior.

Desta forma, é esperado que os custos operacionais para a soja apresentem uma elevação de quase 50% quando comparados à safra 2021/22. Apesar dos aumentos nos custos ainda é possível que o produtor atinja um bom nível de margem operacional. Para isto é essencial o bom gerenciamento não só dos custos, mas também da venda da produção, dados os atuais níveis de preços.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp