Caso Henry Borel: primeiro julgamento carregado de choro e discussões

O julgamento aconteceu nessa quarta, 6, e conta com 63 testemunhas.

Monique Medeiros, mãe de Henry, e o seu companheiro Jairo Souza Santos, Dr. Jairinho, estão presos desde abril acusados de homicídio triplamente qualificado, tortura e coação de testemunhas. No julgamento dessa quarta, 6, Monique esteve presente no 2° Tribunal do Júri, no Rio de Janeiro, enquanto o ex-vereador, preso em Bangú, participou por videoconferência.

Leniel Borel, pai de Henry, foi a quarta testemunha de acusação e no seu depoimento contou que o filho se recusava a retornar para o apartamento da mãe. Segundo ele, o menino disse coisas como “A mamãe não é boa, a mamãe é má”.

A parte da acusação diz que Henry foi espancado até a morte por Jairinho e a mãe, Monique sabia do acontecido. O laudo da morte do menino, apontou 23 lesões pelo corpo, incluindo perfurações nos rins e no fígado. Na época, o casal alegou que Henry tinha apenas caído da cama.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp