Caso Elvisley: esposa de acusado de mandar matar empresário, alega que o marido é inocente

A mulher de Bruno Teixeira da Cunha negou as acusações contra o marido e alegou que está sendo injustiçado pela mídia.

Pela primeira vez, a mulher de Bruno Teixeira da Cunha, denunciado pelo Ministério Público como mandante do assassinato do empresário Elvisley Costa de Lima, falou sobre as acusações contra o marido. Grazyella Cavalcante negou o envolvimento de Bruno no assassinato e alegou que o marido está sendo “injustiçado” pela mídia. A mulher não deu detalhes sobre o que sabe em relação ao crime, alegando segredo de justiça.

Além disso, Grazyella afirmou que Bruno não se entregou por medo “ele permaneceu foragido esse tempo todo porque estava tentando provar a inocência dele”, diz ela. E afirmou que ao final de 2021, o acusado viria voluntariamente ao Tocantins para se apresentar a polícia.

Bruno foi preso pela PM há uma semana em uma clínica de Balneário Camboriú (SC), ele estava foragido há um ano e era um dos alvos mais procurados pela policia tocantinense. Quando foi denunciado pelo MPTO em setembro de 2020, a Promotoria disse que ele pagou 25 mil reais adiantados ao pistoleiro Gilberto de Carvalho matar o empresário Elvisley Costa de Lima. A motivação seria uma dívida que Bruno tinha com Elvisley, que insistia na cobrança. Bruno estava no carro junto a vitima na hora do assassinato.

A defesa do acusado informou nessa segunda-feira (11), que entrou com um pedido de relaxamento da prisão que ocorreu no estado de SC e sugeriu medidas alternativas, como monitoramento por meio de tornozeleiras eletrônicas, ainda não há decisão. Bruno esta na penitenciaria de Itajaí e não se sabe se terá recambiamento dele para o Tocantins.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp