Cadastro de celular de pacientes em tratamento pode ser obrigatório

Tramita na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) um projeto
do deputado Cleiton Cardoso (PTC) que visa tornar obrigatório o cadastro
de celular de pacientes em tratamento que utilizam medicações
disponibilizadas pela Assistência Farmacêutica do Estado.

A proposta pretende facilitar a comunicação com os usuários sobre a
disponibilidade da medicação para retirada, além de evitar o transtorno
de pacientes com dificuldades de locomoção ou mobilidade reduzida, em
caso de falta do remédio.

A matéria foi encaminhada para a CCJ na sessão matutina desta
terça-feira, 23. Para o autor, o presente cadastro via celular é
indispensável a todos os usuários que fazem parte do Sistema de
Distribuição de Medicamentos, integrantes da Política Estadual de Saúde
e Assistência Farmacêutica.

Assessoria em informática a idosos

Outra matéria de Cleiton Cardoso enviada à CCJ dispõe sobre a
implementação de assessoria gratuita em informática para idosos em
órgãos públicos estaduais. O objetivo é facilitar a comunicação e o
acesso desse público a cadastros, agendamentos e serviços digitais, uma
vez que muitos têm dificuldades de compreensão e manuseio das
ferramentas tecnológicas e aplicativos.

Declaração de Utilidade Pública

Na mesma sessão, a Mesa Diretora encaminhou à CCJ um projeto do deputado
Fabion Gomes (PL) que declara como de Utilidade Pública Estadual a
Associação Comunitária Dona Otacília, no município de Ananás.

A associação pretende apoiar, incentivar, promover e executar atividades
com vistas à cidadania e ao desenvolvimento sustentável, bem como
projetos acadêmicos nas áreas de cultura e arte.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp