Agosto Dourado: Rede de Saúde da Capital promove atividades de incentivo ao aleitamento materno

Levando a mensagem ‘Proteger a Amamentação é Responsabilidade de Todos’- tema deste ano da Semana Mundial de Aleitamento Materno, as Unidades de Saúde da Família (USFs) da Capital vêm promovendo desde o início de agosto programações distintas para incentivar o aleitamento materno. Palestras, rodas de conversas, oficinas, atendimentos especializados e momentos para troca de experiências entre as mães estão previstas nas atividades do mês que é considerado “Agosto Dourado”, período constituído para estimular a amamentação.

Durante o “Agosto Dourado”, além das programações voltadas ao público materno-infantil desenvolvidas pelas unidades, a Secretaria de Saúde de Palmas, realizará o Dia D do Aleitamento Materno, que ocorrerá nesta quinta-feira, 19, das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas, nas Unidades de Saúde da Família da Arne 53 (406 Norte) e José Hermes, situada no Setor Sul. Nessa data, serão oferecidos às mamães, um dia de acolhimento e promoção de Saúde, com palestras sobre a importância do leite materno, que serão ministradas por representantes do Corpo de Bombeiros, médicos pediatras, entre outros profissionais.

O gerente das Linhas de Cuidados da Atenção Primária, enfermeiro Ilton Batista Salgado, lembra que Palmas tem cerca de 10 mil crianças menores de dois anos e que o leite materno é fundamental para o pleno desenvolvimento da criança. “O mês de agosto é o período em que buscamos estimular, por meio da informação, sobre os benefícios do leite materno. As unidades de saúde já trabalham o tema durante todo o ano, mas este momento reservamos para diversificar as atividades visando apresentar, de forma diferente, a importância da nutrição do bebê, da segurança alimentar e dos benefícios gerados pelo leite materno”, reforça o gerente, lembrando que toda a programação foi preparada de uma forma segura, cumprindo as recomendações de prevenção e cuidados frente à pandemia.

 

Leite materno

É recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que os bebês recebam leite materno exclusivo até o sexto mês de vida e, associado à alimentação complementar saudável, até os dois anos ou mais. Isso porque o leite materno transmite anticorpos e nutrientes essenciais para os bebês.

O enfermeiro Ilton Batista, explica que metade dos casos de diarreia e um terço das infecções respiratórias em crianças seriam evitadas com o leite materno. Também seria possível evitar 72% e 57% das internações hospitalares provenientes dessas doenças. “A recomendação às mães é que deem para seus bebês apenas o leite materno até os seis meses e a partir daí inicie a introdução de novos alimentos, mas não dispensando totalmente o leite da amamentação, que, preferencialmente, deve durar até os dois anos de vida”, orienta o profissional.

 

Acompanhe a programação do Dia D – 19 de agosto

Manhã

• 08 às 09h – Técnicas de relaxamento;

• 09 às 10h – Palestra Bombeira;

• 10 às 11h Dúvidas sobre alimentação – palestrante Mariana, do Núcleo Ampliado de Saúde da Família (NASF);

• 11 às 12h – Teste rápido NASF.

 

Tarde

• 13 às 14h – Técnicas de relaxamento;

• 14 às 15h – Palestra Walkiria Pinheiro – coordenadora do Banco de Leite;

• 15 às 16h – Dúvidas sobre alimentação – palestrante Mariana. do Núcleo Ampliado de Saúde da Família (NASF);

• 16 às 17h – Teste rápido NASF.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp