A menos de duas semanas do Enem, dezenove funcionários do Inep pedem exoneração

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do Enem, sofreu um movimento interno de desoneração em massa a 13 dias do Exame, marcado para os dias 21 e 28 de novembro.

Em nota, a Associação dos Servidores do Inep (Assinep) garantiu que os funcionários remanescentes vão continuar trabalhando para cumprir as demandas do órgão e cobrou uma posição do Ministério da Educação (MEC) e do governo federal para a solução da questão.

Outros dois coordenadores ligados ao exame, também pediram exoneração dias atrás. O diretor de tecnologia responsável pela versão digital pediu desligamento em setembro deste ano. Um pedido de dispensa que foi encaminhado à diretoria do Inep, dizia que um dos motivos para os pedidos de demissão, seria a “falta de comando técnico”. O pedido foi assinado por 13 servidores.

Em outras ocasiões, como em um ato realizado em frente ao prédio do instituto, em Brasília, funcionários alegaram que a gestão atual deixa um “clima de insegurança e medo”. Nos relatos, afirmam ainda que a aplicação das provas do Enem está sendo elaborada de forma “arbitrária e unilateral” por pessoas com cargos ligados à presidência do instituto.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp