3º BPM abraça campanha de combate a violência contra a mulher e leva informações para moradoras de Itacajá

Ao longo do mês de agosto, além de realizar o trabalho rotineiro de policiamento, o 3º Batalhão da Polícia Militar aderiu à campanha estadual desenvolveu ações dentro do movimento “Agosto Lilás”, uma campanha de conscientização pelo fim da violência contra a mulher que faz referência ao aniversário da Lei Maria da Penha, criada em 7 de agosto de 2006 e que, em 2021, completou 15 anos.

Neste contexto, a cabo Mahianna Maciel, integrante do efetivo do 3º BPM, realizou uma série de palestras no município de Itacajá, na região centro-norte do Estado, que teve um público total de 101 mulheres atendidas.

A programação foi fechada nesta terça-feira, 31 de agosto, com explanação para um grupo de mulheres e mães que oram pelos filhos na Paróquia Sagrado Coração de Jesus. Já no dia 26, o público foi alunas e professoras da Escola Estadual Almeida Sardinha, e no dia 21 integrantes da Primeira Igreja Batista de Itacajá.

Nas palestras, a cabo Mahianna Maciel falou sobre a valorização da mulher e o seu valor na sociedade, o poder da união, a importância da Lei Maria da Penha, além de destacar com é importante denunciar casos de violência por meio do telefone 180 (Central de Atendimento à Mulher), que acolhe a vítima e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgãos competentes.

Conforme a palestrante, as apresentações foram muito proveitosas e levaram informações importantes para as participantes. “Muitas informações relevantes foram passadas e, com certeza, serão muito úteis tanto para quem possa estar passando por uma situação de violência, quanto para quem vier a conhecer alguém que esteja passando por esta situação saber como ajudar”, explicou a cabo Mahianna completando que as mulheres foram orientadas a não aceitarem ser tratadas de qualquer jeito, a se valorizarem, e a se afastar de pessoas que não dão o valor que elas merecem.

“O enfrentamento à violência doméstica e familiar não pode parar. Estamos falando de um problema grave que, infelizmente, é a realidade de muitas mulheres. Não é possível que as mulheres continuem a enfrentar esse tipo de violência. O 3º BPM, por meio do trabalho da Mahianna, deu a sua contribuição e levou informações importantes para as mulheres de Itacajá que, certamente, estão bem mais esclarecidas e confiantes para denunciar casos de violência”, afirmou o comandante do 3º BPM, major Aderlan Pereira Santana.

Compartilhe com facebook
Compartilhe com twitter
Compartilhe com linkedin
Compartilhe com skype
Compartilhe com telegram
Compartilhe com whatsapp